Shadow

Empresa-mãe do Madison Square Garden usou tecnologia de reconhecimento facial para expulsar advogados que os processavam de shows

A Madison Square Garden Entertainment Corp. (MSG Entertainment) está usando a tecnologia de reconhecimento facial para expulsar os advogados que os processam dos shows. De acordo com um relatório de Pedra rolandoMSG Entertainment, dona do Madison Square Garden, bem como do Radio City Music Hall e do Beacon Theatre, expulsou o advogado Bárbara Hart e seu marido de um Brandi Carlile exibição em 22 de outubro. cervo é advogado da Grant & Eisenhofer, que atualmente está processando a MSG Entertainment como parte de uma ação coletiva.

“Existe uma grande possibilidade de usar a tecnologia para melhorar nossa sociedade”, disse cervo para Pedra rolando. “Mas meu verdadeiro sentimento aqui é que este caso é demonstrativo do abuso de tecnologia, semelhante ao que vemos com Elon Musk expulsar as pessoas do Twitter só porque elas podem.”

Situação semelhante aconteceu com Kelly Conlonuma associada de uma empresa que está processando a MSG Entertainment, quando foi expulsa de um show do Radio City Rockettes no Radio City Music Hall que ela estava participando com sua filha e a Tropa de Escoteiras.

Mas certamente isso não pode ser apenas o novo inferno distópico em que vivemos, certo? Na verdade, eles não estão usando a tecnologia de reconhecimento facial para expulsar alguém que se oponha a eles nos shows, certo? Infelizmente, a MSG Entertainment forneceu uma declaração para Pedra rolando confirmando que é exatamente o caso.

“O MSG instituiu uma política direta que impede advogados de empresas que buscam litígios ativos contra a empresa de comparecer a eventos em nossos locais até que o litígio seja resolvido. Embora entendamos que essa política é decepcionante para alguns, não podemos ignorar o fato de que o litígio cria um ambiente adverso”.

A única palavra que vem à mente aqui é definitivamente “distopia”. Que alguém que foi contratado para fazer um trabalho é expulso de um show que pagou para ir porque a empresa que está processando decidiu que não deveria estar lá e usou a tecnologia de reconhecimento facial para identificá-lo. Woof.

Quer Mais Metal? Assine nossa newsletter diária

Digite seu e-mail abaixo para obter uma atualização diária com todas as nossas manchetes.

Leave a Reply

Your email address will not be published.